4 de outubro de 2016

Trilhando o Caminho do Aprendizado

As Lições Que Me Levaram à
Loja Independente de Teosofistas

Joaquim Duarte Soares



“Uma filosofia de vida adequada,
verdadeira e correta é absolutamente necessária
para que haja um progresso firme e constante.” [1]

(Robert Crosbie)



Na longa caminhada em busca da Sabedoria, cada aprendiz tem o seu próprio percurso, até chegar ao momento em que reconhece intuitivamente que encontrou aquilo que tanto procurava.

Esse momento aconteceu para mim quando descobri a teosofia. Foi como ter reencontrado algo que havia ficado perdido no esquecimento. Finalmente, aí estava aquela Sabedoria sublime, vertiginosa e imensamente bela que poderia inundar minha alma sedenta.

Lembro-me de folhear maravilhado as páginas do meu primeiro livro de Helena P. Blavatsky, que comprei de uma pequena livraria no Porto. Era o volume I de “Ísis Sem Véu”. Eu já tinha lido alguns textos de autores que citavam de vez em quando algumas frases de H.P.B., mas era diferente ler a própria autora e sentir a força viva de cada uma das suas palavras, das suas ideias e do encadeamento do seu pensamento, a coragem do seu testemunho e a imensa ousadia em denunciar abertamente a idolatria, o fanatismo, o preconceito e o materialismo.

Aos poucos fui tomando conhecimento e estudando as obras de Helena P. Blavatsky, desde a sua majestosa “Doutrina Secreta” até à sua profundamente inspiradora “Voz do Silêncio”, entre outras. Pelo meio fui também lendo vários autores teosóficos. Descobri então, que certas obras tidas como teosóficas na verdade pouco tinham de teosofia, sendo mais uma coleção de devaneios e fantasias do que outra coisa.

Uma grande descoberta se deu para mim ao comprar os dois volumes de “Cartas dos Mahatmas Para A.P. Sinnett”, edição da Editora Teosófica. Ali estavam, pela primeira vez em língua portuguesa, os preciosos ensinamentos diretos dos Grandes Sábios dos Himalaias que zelam pela Humanidade.

Mais tarde, por uma questão de gratidão e de dever, acabei por me integrar numa instituição teosófica. Na altura, os seus principais dirigentes eram estudantes sérios de H.P.B. e dos Mahatmas. Porém, não tardou a vir ao de cima a influência da burocracia, da luta pelo poder, e da aceitação de fantasias ridículas por parte da maioria dos membros. O abandono do estudo, da investigação e da vivência da teosofia original acabou por corroer as bases daquela instituição, que tinha como missão fazer chegar os ideais teosóficos às gerações futuras, para o bem da humanidade.

Não podia compactuar com tais atitudes, nem ser conivente com a situação que presenciava. Senti que aquele não era o meio adequado para prosseguir meu caminho de aprendizado. Nunca esqueci uma frase de Buda, que diz mais ou menos o seguinte:

“Se não encontras amigos que te acompanhem na caminhada, caminha sozinho como um elefante na floresta.”

Desiludido, voltei a caminhar só, ouvindo aqui e ali a voz de outros irmãos experientes que lutavam sozinhos contra a desfiguração da teosofia.

No entanto, eu ainda lutava por perceber qual a melhor forma de eu aprender mais e, assim, ser verdadeiramente útil aos meus semelhantes e ao mundo.  Até que, por felicidade, encontrei o e-grupo SerAtento, em YahooGrupos,  em 2007. Logo em seguida tive conhecimento da proposta dos nossos websites associados.

Não mais precisava caminhar só. Encontrei-me rodeado de estudantes que se moviam pelo amor genuíno à Verdade e à Sabedoria, encontrei um núcleo de irmãos que preservam o foco na teosofia original, tal como veiculada por H.P.B. e os Mahatmas.

Foi significativo para mim perceber o quanto o esforço e a dedicação dos teosofistas pioneiros da Loja Unida de Teosofistas tinham permitido que a teosofia pura transmitida por H.P.B. e pelos Raja-Iogues dos Himalaias chegasse até ao presente. Aprendi muito com a lealdade demonstrada por Robert Crosbie e John Garrigues, entre outros, que, no momento em que a maior parte do movimento se apresentava sob a influência negativa da pseudoteosofia de Annie Besant e Charles Leadbeater, conseguiram criar um centro de preservação e difusão da teosofia autêntica. Os princípios estabelecidos originalmente por H.P.B. foram mantidos vivos e ativos; chegaram até nós e podem cumprir a sua função durante o século 21 e seguintes.  Ingressei na LUT em maio de 2009.

Com o tempo fui compreendendo ainda com mais clareza que a verdadeira aprendizagem só acontece quando nós nos esforçamos por tornar o ensinamento um fator vivo e central em nossas vidas.

Só experimentando se aprende, só trabalhando e servindo se desenvolvem as nossas potencialidades. Do conhecimento brota a confiança, da confiança o entusiasmo, e do entusiasmo vem a inspiração.

O trabalho foi se expandindo em múltiplas frentes, e o estudo e a pesquisa aprofundaram-se. As responsabilidades daí inerentes levaram a que o nosso grupo de estudantes sentisse a necessidade de avançar para um novo patamar de autonomia e de compromisso com o futuro.

Em setembro de 2016, decidimos formar a Loja Independente de Teosofistas, mantendo simpatia pela LUT mas criando uma frente de ação nova e desvinculada de qualquer organização teosófica previamente existente.

Com este passo, abrimos caminho para prosseguir na livre busca da verdade, conforme a pedagogia e o ensinamento originais de Helena Blavatsky e dos Mestres.

Ao longo dos últimos anos descobri a alegria da partilha, da cooperação, do trabalho em comum e da ajuda mútua constante entre os companheiros de caminhada. O esforço é por levar à prática os ensinamentos de H.P. Blavatsky, contribuindo para a solução dos problemas que afetam a humanidade e para o despertar da nova cidadania planetária.

John Garrigues escreve:

“Milhares de pessoas podem viver de modo confortável, e até muito satisfeitas, tendo a teosofia como sua propriedade mental. Mas a aplicação diária e a cada momento da teosofia, a sua divulgação segundo as Linhas Estabelecidas por Aqueles que a criaram, preservaram e regeneraram, significa avançar por um caminho no qual ninguém conseguiria ingressar ou perseverar, se não fosse por esses Amigos e Professores de tempos antigos e de tempos futuros.”

E ele concluiu:

“O estudante deve aprender a sentir e saber que estes Grandes Seres não estão mortos, e nem tampouco em algum retiro distante, mas estão sempre próximos, e ativos como a magia de um poder irresistível, como um rio que avança poderosamente. À medida que o estudante confia inteiramente Neles e prossegue no trabalho, estudando, aplicando e divulgando os Ensinamentos que Eles escreveram para ele, nesta medida ele, inevitavelmente, compreenderá  por completo.” [2]

Ao lado do Visconde de Figanière e outros grandes pioneiros, Garrigues é uma referência para a Loja Independente de Teosofistas.
  
NOTAS:

[1] Do texto “Filosofia de Vida e Estabilidade”, de Robert Crosbie, que pode ser encontrado em nossos websites associados.

[2] Do texto “Helena Blavatsky - A Que Distância?”, de John Garrigues. Disponível em nossos websites associados.

000

O teosofista Joaquim Soares vive em Gafanha da Nazaré, Aveiro, Portugal.

000

Sobre o mistério do despertar individual para a sabedoria do universo, leia a edição luso-brasileira de “Luz no Caminho”, de M. C.


Com tradução, prólogo e notas de Carlos Cardoso Aveline, a obra tem sete capítulos, 85 páginas, e foi publicada em 2014 por “The Aquarian Theosophist”.

000