13 de dezembro de 2011

Descobrindo a Filosofia Esotérica

Estudante Descreve o Seu
Primeiro Contato com a Teosofia

Joana Maria Pinho


00000000000000000000000000000000000

Nota Editorial de 2016:

Cada pessoa tem seu próprio modo
de aproximar-se do estudo das verdades
universais. A descoberta da sabedoria
esotérica pode ocorrer das mais diferentes
formas, incluindo aparentes acasos. O
testemunho a seguir foi publicado pela primeira
vez na edição de outubro de 2011 de “O Teosofista”.

(CCA)

0000000000000000000000000000000000000000000000000


Conheci o termo “Teosofia” através de um amigo. Falou-me muito por alto. Sugeriu-me um livro sobre o tema que, devo confessar, nunca li. Somente registrei a palavra “Teosofia” como um tema a pesquisar. Fui adiando - ou talvez ainda esse não fosse o momento -, até o dia em que outro amigo me questionou sobre a Teosofia e eu não tive nenhuma resposta para dar.

Sou ativa na minha busca de conhecimento e graças a essa atividade vou conhecendo pessoas com a mesma sede de saber. A Internet e o Facebook têm sido uma boa ajuda, pois têm tornado possível a partilha de conhecimento somente com um click.

Somos cada vez mais aqueles que têm consciência de que há algo mais para ser descoberto, uma verdade que ninguém conta. Mas que verdade é essa? O que é esse mais que tanto procuramos? Penso que sei o que é, mas neste momento não me vou atrever a mencioná-lo. Seria infantil da minha parte.

Esse amigo tem-me levado a questionar. Numa dessas conversas, sugeriu-me um link e um vídeo. Acedi, e na ilusão consegui ver alguma verdade. Falavam de muitas coisas e chamavam a tudo isso Teosofia. O vídeo focava-se muito no fantástico, assim como o site. Não fiquei por ali. Decidi então ver o que havia mais na internet. Surgiu então uma dificuldade: muita informação, sem nenhum rumo certo. Decidi focar a minha pesquisa em orientações para o estudo da Teosofia. Mas fiquei desiludida ao ver que tal conhecimento e estudo implicavam pagamentos em dinheiro e módulos de estudo, como se de um curso se tratasse. Continuei a pesquisar e descobri o blog HelenaBlavatsky.net, que é um dos websites associados de “O Teosofista”. Tanta informação, sem normas, sem dificuldades, sem alusões ao fácil e ilusório… Comecei a ler um artigo e - amor à primeira vista. Decidi enviar um email aos editores pedindo orientação, pois ao iniciar o meu estudo não sabia por onde começar. Aprendi então a primeira lição de Teosofia, a verdade está em ti, o estudo da teosofia apenas a vai despertando.

Mal acabei de enviar o email, virei o olhar para as flores e um pássaro surgiu de um aparente nada, ficou quase parado no ar e depois pousou em cima das flores. O tempo parou e esse momento transformou-se na eternidade. Aí soube que estava a fazer o correto.

Comecei a ler artigos do website FilosofiaEsoterica.com e vi, mais uma vez, que aqui estariam as pessoas certas. Por quê? Na filosofia esotérica vejo liberdade e verdadeira essência. Ninguém apela ao fantástico nem ao fácil. Vocês limitam-se apenas a disponibilizar conhecimento, para que cada um descubra a verdade por si mesmo; partilham a informação sem estarem à espera de nada em troca. No fundo, vocês permitem que o conhecimento seja aquilo que realmente é, eterno; e a eternidade não se encontra na matéria, mas na alma. O encontro com a alma jamais poderá ter hora marcada. Ele se dá na consciência do momento. Assim começo a entender a Teosofia. Vejo que não me iludem nem estão iludidos. Estou aqui para viver a autenticidade da Teosofia.

Esta descoberta é também intensa. Noto que quanto mais me entrego, mais ela me dá a conhecer. A Teosofia revela que apesar de a verdade ser universal, o caminho é individual; o bom senso é fundamental nesta descoberta e o caminho só poderá ser simples, pois só assim temos todos a oportunidade de fazê-lo.

Agora começo a entender a frase “a verdade retorna sempre”, pois ela está em todos nós. Qualquer um consegue aceder a ela quando alcança a devida maturidade, a devida consciência. Sem o verdadeiro trabalho interior jamais conheceremos a verdade. Não é possível conhecer e tocar no divino, se não o reconhecemos em nós. É esta a visão que tenho, aqui e agora, da Teosofia, e a esta visão me entrego.

000

Joana Maria Pinho é portuguesa e passou a ser trabalhadora voluntária e coeditora de nossos websites associados em 2011, logo após escrever o artigo acima. Ela está entre os fundadores da Loja Independente de Teosofistas, que surgiu em setembro de 2016.    

000

O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 


Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:   


000