11 de março de 2014

Travessia

Para Aquele que Navega no Mar dos
Sonhos, Despertar Pode Parecer Um Naufrágio

Ribeiro Couto 




É a sensação de um barco que naufraga
Este passar do incerto para o certo,
O descobrir do sol quando desperto
E logo a vida que vivi é vaga.

Por onde andei? Que misteriosa plaga?
Muito longe, talvez,  ou muito perto:
Um litoral em névoas encoberto
E um perfil de paisagem que se apaga.

Que fio do real prende esse mundo
Ao mundo que acordado tenho à vista,
Pois que em ambos respiro e me confundo?

Na viagem que à noite recomeço
Já qualquer coisa agora me contrista,
Mas não sei se a partida, ou se o regresso.

000

O poema “Travessia” é reproduzido da p. 120 do livro “Longe”, de Ribeiro Couto, Editora Civilização Brasileira, RJ, 1961, 140 pp. O escritor e poeta brasileiro Ribeiro Couto nasceu a 12 de março de 1898, e viveu até 1963.

000

O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 


Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:   


000