24 de dezembro de 2013

A Vida Como um Laboratório

A Busca da Verdade
Ultrapassa o Mundo da Aparência

Joana Maria Pinho

  A árvore da vida cresce ao seu próprio ritmo



Para fazer da Teosofia um fator vivo, o estudante de filosofia esotérica tem em sua vida o laboratório necessário.

O ensinamento teosófico é dirigido a todos e existe para ser aplicado no dia-a-dia. Sua proposta não é acadêmica. A Teosofia propõe o desenvolvimento da consciência cósmica, o autoaperfeiçoamento, a alquimia interior, a iluminação planetária.

Alguns grupos ficam indignados quando se coloca teosofia em assuntos “não-teosóficos”, mas quais são os temas “não-teosóficos”? Sendo a Teosofia a arte de viver, tudo o que esteja relacionado com a vida diz respeito à teosofia.

A teosofia tem respostas para quaisquer questões. Quando a visão teosófica for aplicada aos vários aspectos da vida humana, todos os seres viverão abençoados pela luz que dela emana.

A procura por soluções tem-se desenvolvido em grupos partidários, em associações de proteção ambiental, estudos acadêmicos, estatísticas, etc. O alimento é frequentemente procurado na casca, mas a substância está na noz.

A busca profunda ocorre ultrapassando-se o mundo da aparência e dos resultados e dirigindo a atenção para o essencial. De fato, ficar agarrado à forma e à visão de curto prazo desanima a muitas pessoas. A harmonia não chega com imediatismo nem com manipulação material, e muito menos com indignação. Quando nos lamentamos em relação à realidade, a atenção sai do que está ao nosso alcance, a energia perde o foco, e o nosso poder criativo é desperdiçado.

Toda árvore precisa de uma série de condições para crescer de forma ótima. De nada adianta querer que uma árvore cresça e dê frutos antes de seu tempo. De nada adianta gritar com ela. Por vezes até se produz o efeito contrário e, ao interferirmos violentamente no seu desenvolvimento, ela adoece, demora ainda mais para crescer, e por vezes até acaba por morrer. 

Quando a árvore tem reunidas as condições necessárias para o seu serviço e todas as células cumprem seu dever, ela se desenvolve adequadamente. Dentro do ritmo necessário, ela dá frutos. E o estudo teosófico tem o poder de desenvolver todas as qualidades essenciais para que a árvore cresça e dê frutos saborosos e nutritivos.  

Uma nova civilização se desenvolve no atual momento da história humana. O cidadão planetário conhece sua responsabilidade na construção do futuro e cumpre seu dever com entusiasmo. Com paz-ciência, ele cria em sua vida o que quer ver no mundo: Amor-Sabedoria.

Ressalto as seguintes palavras do texto “A Lei Natural das Coisas”: 

“Quando na balança do progresso humano o prato com as novas estruturas civilizatórias começar a ter um peso significativo, em relação ao prato que contém as velhas estruturas, então a humanidade começará a ver e a sentir com profunda clareza que uma nova civilização da solidariedade está de fato em marcha.” [1]

As sementes da nova civilização foram plantadas pelos irmãos mais velhos da humanidade. Que possamos com humildade e gratidão auxiliar no cultivo da civilização luminosa.

NOTA:

[1] Do artigo “A Lei Natural das Coisas”, de Joaquim Duarte Soares, que pode ser encontrado em nossos websites associados.

000

O artigo acima foi publicado inicialmente na edição de julho de 2013 de “O Teosofista”.

000

O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 


Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:   


000