25 de outubro de 2014

Ideias ao Longo do Caminho - 01

Construindo Uma Sintonia
Diária Com o Que é Sagrado

Carlos Cardoso Aveline




* A verdadeira força não necessita ser demonstrada através de maneiras óbvias. 

* O propósito evolutivo de mudanças e desafios externos não é provocar sofrimento, mas fortalecer o templo interior nas mentes e nos corações humanos.

* A sabedoria do Oriente ensina uma paz incondicional. Ela surge da unidade interior com os ciclos da natureza.

* A mais alta bênção acontece como o relâmpago e o trovão no meio da noite, e durante uma tempestade intensa.

* A Lua Cheia está tradicionalmente associada a uma expansão da consciência. Devemos garantir que a consciência que se expandirá é pura e boa.

* A Lua minguante convida a renunciar ao que é secundário e a concluir assuntos pendentes.

* Há um tempo para ser flexível como o próprio ar, e um tempo para ser firme como uma rocha.

* O caminho da vitória é percorrido quando as prioridades são claras. O esforço deve ser calmo, concentrado, duradouro.

* À medida que o carma humano se acelera, cabe ampliar os horizontes e aperfeiçoar a nossa capacidade de estar atentos à vida.

* Um fator decisivo na vida, e na ciência da paz, é a autoestima. Um sentido profundo de autorrespeito e autoconfiança nos permite perceber que a vida está OK assim como ela está.

* A teoria e a prática devem ser comparadas, de modo que ideais nobres não possam servir de desculpa para ações ignóbeis.

* A ética que surge do coração de cada um é a arte de plantar bom carma. E quantos assuntos podem ser mais importantes que esse?

* Não podemos acertar sempre, mas tentar o melhor está ao nosso alcance a cada momento, e constitui um bom hábito. O carma depende em grande parte dos hábitos.

* Se queremos ser felizes, é preciso obter sabedoria. E para ser sábio, é necessário desenvolver um sentido de responsabilidade diante da vida.

* As montanhas estão mais perto do céu que nós, e, na linguagem da alma, constituem escadas simbólicas para níveis celestiais de consciência que há em nós próprios. Escalar uma montanha é algo tão probatório como percorrer o caminho da sabedoria. 

* Na incessante gangorra da vida, há um ponto médio invisível de paz incondicional, e é ele que estabelece o equilíbrio. A dinâmica do balanço está sempre presente, mas nem sempre é fácil percebê-la. É preciso estudar o desdobramento prático do equilíbrio ao longo do tempo, através da lei da causa e do efeito.

* Ao invés de nutrir pensamentos negativos em relação a alguém, peça perdão à sua própria consciência pelos erros que cometeu na vida, e tome providências para corrigi-los. Você pode aprender mais.

* A galinha vê insetos: a águia investiga as montanhas. Quanto mais elevado o ponto de vista desde o qual você olha para a vida, mais amplo será o seu horizonte, e mais abrangente a sua visão.

* É possível abrir as portas da vida para a bem-aventurança. Basta manter o foco da consciência em pensamentos e sentimentos positivos, sobre temas de natureza universal, ao mesmo tempo que preservamos o bom senso e o realismo.

* Alguns afirmam que “antes de controlar os outros, cabe controlar a si mesmo”. Na verdade, aquele que desenvolve autocontrole já não busca metas ilusórias como “ter poder sobre outros”. A lei das relações humanas é a lei da confiança mútua. Nisso, transparência e discernimento são fundamentais.

* A música da alma pode ser inaudível para os ouvidos físicos. O pensamento profundo necessita de silêncio e concentração, assim como as ideias superficiais se alimentam de interrupções e ruído.

* O que acontece quando você luta com perseverança pelo que entende que é bom, belo e verdadeiro? Passo a passo, a ignorância é destruída em sua vida, e a sabedoria cresce com mais força, como as plantas após a chuva. 

* No mistério do amor e da criatividade, a força eterna se encontra com a beleza passageira graças ao ponto abstrato do momento presente. Todas as eras estão presentes em cada instante. 

* A transição para uma nova era de fraternidade universal se desdobra pouco a pouco. Ela começou séculos atrás e ainda está incompleta. Ela também ocorre a cada novo dia, dentro da consciência dos cidadãos de boa vontade.

* Adote um ideal nobre, faça o melhor que pode a cada dia, aprenda com seus erros e a vitória ocorrerá a seu devido tempo, de modo gradual.

000

Uma versão inicial do texto acima foi publicada pela primeira vez na edição de agosto de 2014 de “O Teosofista”. Embora o título “Ideias ao Longo do Caminho” corresponda ao título da série de artigos em língua inglesa “Thoughts Along the Road”, do mesmo autor, não há necessariamente uma identidade entre os conteúdos das duas publicações.

000 

Sobre o mistério do despertar individual para a sabedoria do universo, leia a edição luso-brasileira de “Luz no Caminho”, de M. C.


Com tradução, prólogo e notas de Carlos Cardoso Aveline, a obra tem sete capítulos, 85 páginas, e foi publicada em 2014 por “The Aquarian Theosophist”.

000