8 de agosto de 2017

Gerações: Um Poema

Para Examinar o Sofrimento Acumulado

Michel Temer




0000000000000000000000000000000000000000000000000

Nota Editorial de 2017

A vida tem diferentes camadas de significado.

Numa leitura esotérica, o título do poema “Gerações”
pode ser visto como significando “Encarnações”. [1]

De fato, todo cidadão é convocado pelo ensinamento
filosófico a ouvir a si mesmo, a escutar seu eu profundo, a 
ser herdeiro da dor e da aprendizagem de suas encarnações
anteriores - e da coletividade. Cabe a ele definir
diante disso um compromisso sério com o futuro. [2]

(Carlos Cardoso Aveline)

00000000000000000000000000000000000000000000000000000000



Gerações

Acumulam-se
Em mim
Séculos de dor.

Passada
De geração em geração
Até que a última
Designou-me seu titular.

Debato-me com ela,
Mas não me desfaço dela.
Sou seu dono, exclusivo.

Sendo assim,
Resta-me um último embate.
Impedir por gestos,
Palavras, ação,
Disfarces,
Que ela passe
Para a próxima
Geração.

NOTAS:

[1] Os versos são reproduzidos da obra  “Anônima Intimidade”, de Michel Temer, Topbooks, 2012, Rio de Janeiro, 164 pp., p. 108. Sobre o tema do compromisso consigo mesmo, ver também o poema mais longo do livro, que encerra o volume às pp. 163-164 e pode ser lido como uma oração ao eu superior.

[2] A respeito do tema geral da encarnação e da reencarnação, Temer escreveu este breve poema intitulado “Precocidade”:  “Lembro-me da discussão / Do tapa / Do empurrão / Dos gritos / Da confusão. / Nasci / Dez dias depois.” (“Anônima Intimidade”, p. 69.)

000

O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 


Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:


000