25 de dezembro de 2018

Vivendo os Aforismos de Patañjali



A Luz da Vida se Expande Através do  
Sentimento de Lealdade Para com a Alma

Carlos Cardoso Aveline





Os clássicos “Aforismos de Ioga”, de Patañjali, estimulam um sentido de dever para com a nossa própria visão do que é uma vida correta, e fortalecem o sentimento de que é possível viver de fato um ideal elevado de ética e sabedoria.

À medida que o leitor estuda uma boa versão da obra de Patañjali [1], percebe que há várias  providências a tomar para que a sua vida melhore, nos planos físico, emocional e mental.

O mero ato de contemplar uma e outra vez os desiguais axiomas de Patañjali parece ser suficiente para fortalecer silenciosamente a sua vontade.  

Não há necessidade de prestar demasiada atenção a aqueles axiomas com os quais a sua interação é naturalmente pequena. O leitor pode concentrar-se nos aforismos que falam à sua alma. A ordem ou sequência deles na obra clássica não é necessariamente a ordem das suas necessidades de autotreinamento. É correto seguir o processo natural de afinidade.

A Luz da vida se expande através do sentimento de dever para com a nossa alma, e do sentimento de propósito profundo que surge com a visão do dever sagrado.    

A percepção das nossas falhas deve ser compensada por um certo desapego em relação aos erros cometidos; por uma capacidade de “domar” a nossa vontade dispersa; e pela concentração da mente na meta e no ideal escolhidos.

Em uma espécie sagrada de silêncio, começamos a compreender a Ioga.

Uma visão tranquila e contemplativa dos aforismos que interagem mais fortemente conosco mostra o ponto de encontro entre o nosso dever e as possibilidades ilimitadas de cada momento em que a mente está aberta ao mais elevado.  

NOTA:

[1] “Aforismos de Ioga, de Patañjali”, uma interpretação de William Q. Judge. Tradução ao português de CCA a partir da edição da Theosophy Co., Índia, 1965 / 1984, 74 pp. O livro está disponível em nossos websites associados. Uma das melhores versões da obra em inglês é “The  Yoga-Sutra of Patanjali”, Translation, Introduction, Appendix and Notes by Manilal Nabhubhai Dvivedi, published by Tookaram Tatya, Bombay Theosophical Publication Fund, 1890. Esta obra está publicada em PDF em nossos webistes: clique aqui para vê-laOutras versões clássicas incluem “The Yoga Philosophy: Being the Text of Patanjali, with Bhoja Raja’s Commentary”, de Tookaram Tatya and Dr. Ballantyne, Bombay Theosophical Publication Fund, Índia, 1885. Há versões úteis e publicadas em português, preparadas por Swami Vivekananda, Yogue Ramacharaka, Rohit Mehta e I. K. Taimni, entre outros.

000

Uma versão inicial do artigo acima faz parte de “O Teosofista” de setembro de 2015, pp. 5-6. Ali não há indicação do nome do autor. O texto foi publicado como artigo independente nos  websites associados no dia 25 de dezembro de 2018.

000

Em 14 de setembro de 2016, um grupo de estudantes decidiu criar a Loja Independente de Teosofistas. Duas das prioridades da LIT são tirar lições práticas do passado e construir um futuro saudável. 

000

O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 



Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:   


000